segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Natal, a encarnação da misericórdia

Queridos paroquianos (as) ainda estamos vivendo o tempo do Advento. O Natal de Nosso Senhor Jesus Cristo se aproxima! Um grande acontecimento exige preparação. Uma visita ilustre não se recebe de qualquer maneira. Também o Natal não pode ser celebrado de improviso. Quem ama espera; quem ama se prepara e se “enfeita” à espera do seu amor! O Advento é celebrado nesta perspectiva, isto é, à luz do Natal.

O Natal é a celebração da encarnação do amor de Deus; é o transbordar de um amor infinito que deseja se comunicar. É próprio do amor antecipar-se ao encontro. O Natal nos fala deste amor divino que vem ao encontro dos seres humanos de forma bem concreta. O amor de Deus toma forma de gente no Menino de Belém.

Outrora Deus se comunicava com a humanidade através dos profetas (Hb 1,1-6) e também por eles anunciava a sua vinda definitiva entre os homens (Is 35, 1-10). Agora, as antigas promessas se cumprem. Natal é a concretização das promessas messiânicas. Já não é mais tempo de expectativa, mas de realização das esperanças. É tempo de presença.

“Fizeste crescer a alegria e aumentaste a felicidade; todos se regozijam em tua presença... Porque nasceu para nós um menino, foi-nos dado um filho; ele traz aos ombros a marca da realeza; o nome que lhe foi dado é: Conselheiro Admirável, Deus Forte, Pai dos Tempos Futuros, Príncipe da Paz”(Is 9).

Seja este Natal a celebração do encontro de dois amores: o divino que se antecipa e o humano que se deixa alcançar. Que o fruto deste encontro se transforme em alegria e esperança a nos acompanhar ao longo do novo ano que se aproxima.


Desejo a todos um Natal santo, abençoado e feliz.
Fr. Silvio T.Werlingue, ofm