segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Missa de Natal reuniu cerca de 300 fieis na Paróquia São Paulo Apóstolo


 Reportagem: Isabela Gaspar

“Estamos aqui reunidos para celebrar um momento muito especial que aconteceu para nós: o nascimento de Jesus”. Estas foram as palavras de Frei Ademir Sanquetti na tradicional missa de Natal realizada no dia 24 de dezembro na Paróquia São Paulo Apóstolo.
            A celebração reuniu cerca de 300 fieis que, embalados pela música: “Noite Feliz”, rezaram e agradeceram por mais um Natal abençoado.
            Frei Ademir ainda mencionou a importância de Jesus em nossas vidas. “Jesus descobriu uma forma de estar presente em nossas vidas, cada vez que comungamos,rezamos, participamos da missa e vivemos o Evangelho”, afirmou o pároco.
            Ainda durante a missa festiva, a Assessoria de Comunicação realizou a contagem dos votos do 1º concurso e exposição de fotografias: “Retratos de Natal”. A ganhadora foi a paroquiana Sonia Mara Gaspar Silva que recebeu 88 votos em sua foto.
            Ao final, todos os fieis se cumprimentaram desejando um feliz e santo Natal.

domingo, 18 de dezembro de 2011

NATAL


Frei Ademir Sanquetti

            Para muitos, o Natal é um momento do ano em que as famílias se reúnem para se alegrar e agradecer a Deus por mais um ano que se passou.
            Para outros, Natal é um dia especial em que pessoas viajam para rever parentes e amigos, promover festas para crianças.É uma data desejada para se ganhar presentes.
            E Jesus? Nasceu em Belém da Judeia. Seu nascimento foi singular, simples e humilde. Em Belém nasceu, a parte humana, carne e ossos com as quais o verbo se cobriu para que pudéssemos ver a sua glória, Jo 1: 1-3.
            Natal é para os cristãos, celebrar a força criadora de Deus e a ação redentora e renovadora de Jesus Cristo. É Ele mesmo quem nos dá o Espírito (cf. João 20,22) e imprime em nós um jeito novo de caminhar conforme o projeto de Deus a serviço do Reino.

            Natal significa a ação divina de descer até a nossa humanidade para ser um de nós: Emanuel!
            Deus poderia continuar amando e cuidando do mundo sem se misturar com a humanidade,mas Ele preferiu amar ao extremo, sem medidas nem reservas, amar plenamente: veio ser um conosco, experimentar da nossa existência, da nossa fragilidade, da nossa condição humana.
            Natal é sacramento da encarnação divina, não é simplesmente uma festa de aniversário para comemorar um ano a mais do nascimento de Jesus. 
            Não existe Natal sem o compromisso de adorar o menino Jesus. Natal sem adoração ao Deus Trino e Uno não é Natal.
            Um dos maiores presentes que podemos dar a Cristo é a nossa vida como sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o nosso culto racional, Rm 12: 1.
            No Natal há uma evocação deste mistério, ser guiado por Deus que se fez menino e que se manifesta aos homens e mulheres da Terra.
            Abramos nossos tesouros, nossos corações e apresentemos ao Senhor Jesus nossas dádivas.
            É Natal! Jesus nasceu em nossas vidas.

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Comunicação e religiãonão só na rima


 Isabela Gaspar

As estratégias para a aproximação com o fiel torna a Igreja Católica cada vez mais dependente da comunicação, principalmente para firmar e propagar o “Reino de Deus”, tendo como ícone e precursor Jesus Cristo.
            Ainda assim, nota-se durante a trajetória de comunicação e religião que tudo nem sempre foi como era esperado. Muitas vezes, a Igreja Católica possuía veículos de comunicação despreparados e precários.
            As informações produzidas pela Igreja vinham sempre acompanhadas da falta de recursos e investimentos no setor. O papa Paulo VI chegou a mencionar que os meios (de comunicação) da Igreja “incomunicavam”, falavam por si mesmos e não eram atualizados.
            Contudo, além dos problemas que existiam na comunicação religiosa, surgiram e ainda estão surgindo conceitos e proposições de evangelização por meio das novas mídias, o que transporta a um caminho de perspectivas para este cenário.
            Há o desafio da Igreja em evangelizar um mundo rico de potencialidades comunicativas, equilibrando o conhecimento milenar e os rituais tradicionais com as exigências da modernidade: simples e veloz.
            É neste espaço que se destaca a chamada PasCom (Pastoral da Comunicação), que desenvolve ações de comunicação para a Igreja Católica com a participação de jornalistas, relações públicas, publicitários e demais leigos interessados no assunto. Trabalho responsável e com a preocupação sempre de inovar, pois a religião não pode ficar para trás.
            Esta premissa leva a entender que as atividades de comunicação para a Igreja Católica tendem a trazer benefícios a este segmento e um avanço para inserir as ações das assessorias de comunicação prestando serviços à comunicação religiosa, o que talvez seja um futuro setor em expansão.
            Falando ainda em novas mídias, coloca-se a internet como forte aliada deste processo. Ela poderá trazer subsídios favoráveis para a promoção da imagem da Igreja perante as redes sociais existentes hoje: Facebook e Twitter, entre outras.
            O ideal é sempre inserir a instituição nestes meios, fazendo com que ela possua uma linguagem atualizada.
            Comunicar não é apenas realizar atividades que dizem respeito à comunicação, mas sim manter um controle e feedback de tudo que foi planejado e executado. Principalmente na Igreja Católica, detentora de rituais e práticas milenares que exigem entendimento e explicação correta dos fatos.
            Assim, a internet poderá incrementar e auxiliar na propagação das atividades comunicacionais realizadas na instituição, tornando-se um imprescindível instrumento de trabalho.
            Cabe à Igreja Católica manter, desta forma, uma “cabeça” moderna e atualizada nas tendências mundiais, prevalecendo sempre seus preceitos religiosos já existentes. Dessa forma as coisas terão mais valor, pois se une o que era antigo às coisas novas, agrega público de interesse e transmite uma imagem de organização.              
            Comunicação e religião andam juntas sim, não só na rima, mas principalmente no que tange à inovação das práticas comunicacionais. É importante e aumenta cada vez mais a credibilidade da instituição.