domingo, 21 de junho de 2015

Mensagem do Pároco - São João Batista

O Ministério de João Batista
Todos os Evangelhos descrevem que o tema principal da pregação de João Batista era o arrependimento (Mt 3.2; Mc 1.4; Lc 3.3-4; Jo 1.23), pois os profetas do AT já anunciavam a sua vinda (Is 40.3; Ml 4.5). Era evidente que o seu ministério consistia em anunciar o advento do Messias (Jo 1. 19-34).
Elementos de sua pregação:
Exortação ao arrependimento; Reconhecimento de que Cristo era superior a ele (Mt 3.11); Denúncia pública dos pecados dos fariseus (Lc 3.8); Proclamação da eternidade de Cristo (Jo 1.15); Seu sacrifício (Jo 1.29, 36) e do advento do Espírito Santo (Jo 1.33).
Sobre seu ministério:
Ele foi o último dos profetas da antiga aliança, o que significava o advento de um novo período na história da humanidade: a dispensação da graça (Lc 16.16); Ele era chamado de Batista porque essa era uma característica de seu ministério: fazer descer as águas todos os que desejassem assumir publicamente sua condição de pecador (Lc 3.2,3). O arrependimento e a confissão dos pecados eram confirmados por esse batismo, seguindo um costume comum no Judaísmo. Porém, o teor do batismo de João era o sacrifício de Cristo; Ele foi o arauto das boas novas, encarregado de anunciar a mensagem divina (Mt 3.1).
Grandes momentos da vida de João Batista
Batismo de Jesus (Mt 3.13); Quando o Mestre se aproxima dele, o profeta diz: “eu careço de ser batizado por ti, e vens a mim?” (Mt 3.14), reconhecendo que Jesus era superior a ele (Mt 3.11).

Seus seguidores seguem Jesus (Jo 3.22-30); Jesus após o batismo, começou a pregar e a atrair muitos seguidores, inclusive os de João. Alguns dos seus companheiros se ressentiram, mas ele lhes advertiu: “é necessário que ele cresça e eu diminua”.

João confirma que Jesus é o Messias (Mt 11.15); Estando na prisão, João enviou dois de seus discípulos para perguntar ao Senhor se ele era o Messias prometido ou se viria outro depois dele. Jesus fez valer as Suas obras, como a cura de cegos, coxos, leprosos e da ressureição dos mortos, bem como a pregação do Evangelho (Lc 7.22, 23). As Suas obras já mostrava que Ele era o Messias anunciado por João Batista.

João é condenado amorte (Mc 6.21,25; Mt 14.6-8). Por conta de sua reprovação pública a respeito do pecado de Herodes (Lc 3.19; Mc 6.17-19). Com isso, Herodias, sua mulher, queria vê-lo morto, conseguindo seu intento (Mc 6.19, 20; 21-29).

João Batista e Jesus Cristo O relacionamento de João e Jesus foi muito específico, provocadas pela natureza de seus ministérios, a saber:
Eles eram primos (Lc 1.34-36. 56, 57);
Por algumas ocasiões, João foi confundido com Jesus (Mt 14.1,2; 16.13,14);
Jesus comparou João Batista a Elias (Mt 17.11-13);
Jesus declarou que João Batista foi o maior homem nascido de mulher (Mt 11.11; Lc 7.28).


Diante disso, é muito importante notar que, embora fossem contemporâneos e tivessem características em comum, seus ministérios eram diferentes: João era o precursor do Messias e Jesus era o próprio Messias. 

Abraços a todos,

Frei Ademir Sanquetti
Pároco

Um comentário:

Deixe seu comentário